Coleção da FBAC vai ser apresentada na Sardenha, Itália | “Territórios imaginados” | 4 de maio a 30 de junho

Partindo da temática da migração, a exposição “Territórios Imaginados” leva ao Museo del Crudo, a partir de 4 de maio, 16 obras da Coleção da Fundação Bienal de Arte de Cerveira. A iniciativa integra a candidatura “Fundação Bienal de Arte de Cerveira: the Collection on the road” e apresenta um conjunto de atividades multidisciplinares que têm como mote dar a conhecer a arte contemporânea e a cultura portuguesas.

O projeto a “Fundação Bienal de Arte de Cerveira: the Collection on the road” apresenta um programa cultural concertado em parceria com a Associação Noarte Paese Museo e o Município de San Sperate (Sardenha, Itália). Segundo o Presidente da Fundação Bienal de Arte de Cerveira, Fernando Nogueira, a iniciativa “representa mais um passo dado na estratégia de internacionalização e valorização da Fundação Bienal de Arte de Cerveira como uma entidade comprometida com a produção artística contemporânea portuguesa e com a sensibilização e formação de públicos, neste caso além-fronteiras”.

Será proposto ao público “um olhar sobre a migração contemporânea através da perceção do território, olhar esse que se constrói a partir de obras de 16 artistas de distintas gerações – mas com um território em comum, Portugal – numa narrativa exploratória de possíveis imaginários”, explica a curadora da exposição, Elisa Noronha.

Em comum também se apresenta a revolução cultural que as duas vilas abraçaram nos anos 60 e 70 do século XX, respetivamente. “Os cerca de 1.500 km que separam os dois territórios diluem-se quando nos reportamos à forte dinâmica cultural. San Sperate e Vila Nova de Cerveira são, há 50 e 40 anos respetivamente, laboratórios de experimentação artística e espaço de encontro, interação e divulgação de ideias para artistas de todo o mundo”, conclui o presidente da FBAC.

O programa contempla ainda, entre outras atividades, uma conferência sobre arte contemporânea portuguesa que será realizada pela curadora e investigadora CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar <<Cultura, Espaço e Memória >> Elisa Noronha e a pintura de um mural na vila sarda, realizado pelos artistas portugueses Acácio de Carvalho, Cabral Pinto e Fernanda Araújo.

O projeto “Fundação Bienal de Arte de Cerveira: the Collection on the road” conta com o apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes.

 

Sobre a Paese Museu (Vila Museu) de San Sperate (Sardenha)

Até aos anos 60 San Sperate era uma vila agrícola como muitas outras: as ruas eram feitas de terra, as paredes das casas eram de terra e a economia baseava-se no trabalho das terras. Em 1968, o artista Pinuccio Sciola (1942-2016) é responsável por uma revolução cultural que envolveu toda a comunidade e que transformou a vila num laboratório artístico permanente e participativo, assim como num lugar aberto à discussão e ao diálogo multicultural. Esta dinâmica mantém-se até aos dias de hoje, sendo agora a Associação Noarte Paese Museo que leva avante este projeto ambicioso que conta 50 anos de história e planos para o futuro.

 

Artistas representados: Ana Maria, Ana Pimentel, António Barros, Bartolomeu Cid dos Santos, Carlos Casteleira, Francisco Tropa, Hélia Aluai, Henrique Neves & Michael Langan, Isaque Pinheiro, Inês Norton, Lauren Maganete, Mário Ambrózio, Martinho Costa, Os Espacialistas, Samuel Rama

Datas: 4 de maio a 30 de junho de 2019

Local: Museo del Crudo, San Sperate, Sardenha (Itália)

X